Guia rápido para alimentação intuitiva - PiMed

Matérias

Gostei

Guia rápido para alimentação intuitiva

Sua fome é física ou emocional? Conheça a filosofia de comer prestando atenção ao seu corpo e em seus sinais de fome

Você já ouviu falar sobre alimentação intuitiva? Esta é uma filosofia de comer prestando atenção ao seu corpo e em seus sinais de fome. Essencialmente, é o oposto de uma dieta tradicional.

O essencial é que a alimentação intuitiva não impõe orientações sobre o que ou quando para comer, ou o que evitar. Em vez disso, ela ensina que você é a melhor pessoa – na verdade, a única pessoa - para fazer essas escolhas.

Este artigo é um guia voltado para os iniciantes na alimentação intuitiva, contendo tudo o que você precisa saber. Não deixe de conferir e compartilhar!

 

O básico

Alimentação intuitiva é um estilo que promove uma atitude saudável em relação ao alimento. A ideia é que você deve comer quando você está com fome, e parar de comer quando você está satisfeito.

Parece básico? Parece ser um processo intuitivo? Bom, para muitas pessoas não é.

Confiar em livros de dietas milagrosas, pode fazer você deixar de confiar em seu corpo e em sua "intuição". Para comer de forma intuitiva, você deve reaprender a confiar em seu corpo. E para fazer isso, é preciso distinguir a fome física da fome emocional.

A fome física: É um impulso biológico para repor os nutrientes. Acontece gradualmente e tem sinais diferentes, tais como um estômago roncando, fadiga ou irritabilidade. Você sente-se satisfeito ao comer qualquer alimento.

A fome emocional: Este é impulsionada pela necessidade emocional. Tristeza, solidão e tédio são alguns dos sentimentos que podem criar desejos por alimentos específicos (muitas vezes "junk food” - alimentos processados e açucarados"). Logo após comer, você se sente culpado.

 

10 Princípios Fundamentais

Em seu livro sobre alimentação intuitiva, Tribole e Resch definem os 10 princípios básicos desta filosofia. Aqui está uma visão geral (1).

 

1. Rejeite a mentalidade Diet

Confiar em alimentos diets e em dietas milagrosas faz com que você acredite que existe uma dieta que irá “trabalhar” por você. A alimentação intuitiva é anti-dieta.

 

2. Honra Tua Fome

A fome é inimiga!

Responda aos seus primeiros sinais de fome, alimentando seu corpo. Se você deixar que a fome cresça, então é provável que você exagere nos alimentos.

 

3. Faça a paz com os alimentos

Dê uma trégua na guerra com os alimentos.

 

4. Desafie a “Polícia da Comida”

Esqueça os mitos da alimentação, como “a gordura é ruim e o carboidrato é bom”. Aprenda sozinho quais são os alimentos “bons” e os alimentos “ruins”.

 

5. Respeite sua Plenitude

Assim como seu corpo lhe diz quando está com fome, ele também lhe diz quando está satisfeito. Ouça os sinais de saciedade, quando você sente que já comeu o suficiente.

 

6. Descubra o Fator de Satisfação

Faça a sua experiência de comer o que te agrada. Cozinhe um alimento que você goste e saboreei-o com calma. Quando você come desta forma, o alimento logo te satisfaz.

 

7. Respeite seus sentimentos sem o uso de alimentos

Para muitos, comer é uma estratégia para lidar com sentimentos.

Encontre outras maneiras que não estejam relacionadas à alimentos para lidar com os seus sentimentos: dar um passeio, meditar, ler o jornal, ligar para um amigo.

E tenha consciência de que, às vezes, essa sensação que você chama de a fome é na verdade algo emocional.

 

8. Respeite o seu corpo

Ao invés de criticar o seu corpo e se focar no que há de “errado” com ele, busque reconhecê-lo como capaz e bonito, foque em suas realidades. Respeitar o seu corpo é mais uma maneira de melhorar sua relação com a comida.

 

9. Exercício - Sinta a diferença

Encontre esportes e exercícios que te agradam e que te estimulam a mover o seu corpo. Mude o foco da perda peso, faça exercícios para se sentir mais energizado, forte e vivo.

 

10. Honra Sua Saúde

O alimento que você come deve te fazer se sentir bem. Lembre-se que sua alimentação molda a sua saúde.

 

Quais são os benefícios?

As pesquisas sobre o tema ainda estão crescendo e concentrando-se principalmente nas mulheres.

Até agora, estudos ligaram a alimentação intuitiva a atitudes psicológicas mais saudáveis, menor índice de massa corporal (IMC) e manutenção do peso (2).

Um dos principais benefícios de uma alimentação intuitiva é a melhora na saúde psicológica. Os participantes dos estudos alimentares intuitivos melhoraram sua autoestima, imagem corporal e qualidade de vida global, diminuindo a depressão e a ansiedade (3).

Intervenções de alimentação intuitiva também têm boas taxas de retenção, ou seja, as pessoas estão mais propensas a continuar praticando as mudanças comportamentais da alimentação intuitiva do que seria em uma dieta (3).

Outros estudos analisaram hábitos alimentares e atitudes das mulheres e descobriram que aquelas que mostram mais sinais de alimentação intuitiva são menos propensas a apresentar comportamentos de transtornos alimentares (4).

 

Como começar?

Se você gostou da ideia, existem maneiras de começar uma alimentação intuitiva.

Comece fazendo um balanço dos seus próprios comportamentos e atitudes alimentares. Quando você come, pergunte-se se você está experimentando a fome física ou emocional.

Se a fome for física, tentar classificar o seu nível. Coma quando você está com fome, não espere “morrer de fome”. Pare de comer quando você se sentir satisfeito. Você também pode encontrar um nutricionista que pratica e ensina alimentação intuitiva, ou participar de um grupo ou classe sobre o tema.

 

Com a alimentação intuitiva, como você come é tão importante quanto o que você come.

Estar atento a seus próprios sinais internos de fome e saciedade pode levar a imagem corporal melhorada e mais qualidade de vida para você.

Fique com Deus!

Autor(es):
Dr. Juliano Pimentel

 

ÚltimasMatérias